• janeiro 2009
    S T Q Q S S D
    « dez   fev »
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    262728293031  

O e-parlamento

Tanto mais que, por ser dado ao vinho é desleal; homem soberbo que não permanecerá; que alarga como o inferno a sua alma; e é como a morte que não se farta, e ajunta a si todas as nações, e congrega a si todos os povos. (Habacuque 2 : 5)
 Na medida em que a globalização se acelera é inevitável que uma série de conflitos de todos os tipos apareçam aguardando uma suposta solução. Afinal…esse é princípio da globalização, como descrito abaixo pela UFRGS :
“Globalização é um processo contínuo pelo qual interesses conflitantes ou divergentes podem ser solucionados e assim adotar uma ação cooperativa. A governança global envolve tanto organizações não-governamentais, como as governamentais, movimentos de cidadania, corporações multinacionais e o mercado global de capital. Interagindo com todos eles encontram-se os meios de comunicação globais-RCGG.”
Esse processo continuo de problemas, soluções e problemas como:guerras internas, crises sociais políticas e econômicas; já se tornaram tão freqüentes que mesmo com a criação do Parlamento Mundial, não será possível que os “representantes” da humanidades viajem rapidamente para a ONU. Pensando nesse problema , os empresários Nicholas Dunlop, William Ury (foto) e outros criaram o e-parlamento.
dunlop_ury21O e-parlamento contará com mais de 20 mil legisladores para lidar com os problemas globais através da votação on line. O objetivo principal e fortalecer e agilizar as decisões do futuro parlamento mundial, fortalecer a ONU e o  exército mundial para que a nova legislação seja obedecida a risca por todos os países.
O e- parlamento também contará com o e-foro, onde as ONGS (organizações não governamentais) de todos os gêneros representarão as classes sociais.
COMO O E-PARLAMENTO FUNCIONARÁ?
WEBSITE: Um “Prédio de Parlamento” virtual será criado em um estilo que se assemelha a outros prédios de parlamento. Como outros parlamentos, a medida que você muda de sala, você passará por “estátuas” visualizando os heróis da luta global pela democracia – de Demostenes de Atenas , da antiga Aung San Su Kyi até a Birmânia de hoje, de Abraham Lincoln a William Wilberforce que ajudaram a terminar com a escravidão, de Mahatma Gandhi a Martin Luther King, Jr. e Nelson Mandela. O prédio não só cediará o E-parlamento, mas o E-foro onde os cidadãos ordinários e grupos de cidadãos podem registrar os seus pontos de vista. O web endereço será http://www.e-parl.net (o site já está criado), sendo que a primeira sílaba do nome significa “parlamento”, comum a muitos idiomas.
Abaixo temos um exemplo de uma futura decisão do e-parlamento sobre a mudança climática:
CLIMA:
“ Enquanto inundações crescentes, furacões e secas fazem cada vez mais vítimas, nota-se que as negociações inter-governamentais em relação a mudança movem-se muito lentamente, se é que realmente se movem .
Membros do E-parlamento trabalharão junto com sociedade civil unindo-se para desenvolver uma proposta concreta para um “acordo global” colocando um limite global seguro para emissões de gases estufa, e compartilhando entre as nações do mundo suas propostas.”
Metas para a criação total do e-parlamento
PARTE 1: PREPARAÇÃO
– Levantamento dos fundos
– Criar comitê organizador dos legisladores com grupo especialista como conselheiros, para desenvolver estrutura, regras de procedimento, projeto de website, etc.
– Criar um conselho de alto-nível de apoiadores, com celebridades, líderes políticos anteriores, etc.
– Criar e iniciar a implementação da estratégia para cobertura da mídia, recebendo votos de apoio público mobilizando toda sociedade civil.
– Lançamento de grupos de trabalho informal em novas iniciativas para trazer ao E-parlamento. Por exemplo uma revisão do Estatuto da ONU, dos direitos das crianças, da mudança do clima global, das finanças para necessidades globais, da promoção da democracia, AIDS, etc.
– Criar um website inicial e banco de dados de legisladores.
PARTE II: LANÇAMENTO
– Lançamento na mídia mundial.
– Seleção e recrutamento para eleição dos legisladores, usando: reuniões, palestrantes viajantes, recrutamento dos pares, mídia, Internet e encorajando dos diversos grupos da sociedade civil.
– Primeira rodada de votos serão para estruturação e regras de procedimento, então eleição de palestrante membros do comitê, etc.
– Trabalho contínuo de grupos informais para desenvolver novas iniciativas.
PARTE III: TRABALHO DO E-PARLAMENTO
– Os membros debatem e votam nas primeiras resoluções.
– Os comitês na ONU, WTO, Banco Mundial etc. começam o trabalho.
– Buscar fundos para os parlamentos, e novas e inovadoras fontes de recusrsos, para o
E-parlamento destiná-los para bens públicos globais.
– Trabalhar para dobrar número de legisladores participando todos os anos
durante os primeiros 5 anos, e trabalhar para criar canais, por meio dos quais podem
ser trazidas decisões do E-parlamento a legislaturas nacionais para sua consideração.
– Trabalhar para construir uma participação da sociedade civil e tornar público
no E-Fórum, inclusive os cidadãos de países onde não existe a democracia.
Para arrastar o maior número de cristãos para o parlamento mundial e para o e-parlamento, a ONU contará com o poder unificador de Baha’u’llah (o falso “espírito santo”) para criar o sistema aqui apresentado. A nova ordem mundial é uma forma de governo espiritual dominante. Como disse Abdu’l’bahá (filho de Baha’u’lláh)  em uma de suas inúmeras palestras, o materialismo está submisso ao espiritualismo:
“…Ao homem são necessárias duas asas. Uma asa é o poder físico e a civilização material; a outra é o poder espiritual e a civilização divina. Com apenas uma asa o vôo é impossível. É essencial que haja duas asas. Por isso, não importa quão avançada seja a civilização material, ela não pode chegar à perfeição a não ser através do avanço da civilização espiritual”  (Abdu’l’Bahá)
Referências:
http://www.e-parl.net/eparliament/welcome.do  
http://www.rcgg.ufrgs.br/