A reforma da ONU

 atualizado em 29/02/12

Os conflitos que afligem toda a humanidade já não podem ser resolvidos em fóruns globais. A ONU precisa de uma reforma, onde os líderes políticos e os doutos de todas as religiões (isso inclui evangélicos) devem participar de suas deliberações e criar uma nova legislação mundial.

A origem desse conceito foi criada pelo maestro da globalização. Aquele que consegue moldar o caráter não só de políticos, mas de muitos cristãos de várias denominações  para que obedeçam  os seus objetivos finais. Essa inspiração espiritual encontra-se na Epístola Lawh-i-Maqsúd (escrita entre 1881-1882 ) de Baha’u’llah (Apocalipse 17:8). Abaixo temos o respectivo trecho:

“..O Grande Ser, desejando revelar os requisitos da paz e tranqüilidade do mundo e do progresso de seus povos, escreveu: Há de vir o tempo em que se compreenda universalmente a necessidade imperiosa de se convocar uma vasta assembléia de homens – assembléia essa, que a todos abranja…” LAWH-I-MAQSÚD  (Baha’u’llah- Epístola de Maqsúd)

Desde que a melodia do rouxinol místico tocou como descrito acima, políticos e religiosos tem se esforçado para que essa etapa do  governo mundial seja criada.  O ex -presidente lula é um desses “agraciados”. Abaixo temos um trecho de seu discurso chamando às nações para o parlamento mundial na ONU.

“…Dado o caráter global da crise, as soluções que venham a ser adotadas deverão ser também globais, tomadas em espaços multilaterais legítimos e confiáveis, sem imposições. Das Nações Unidas, máximo cenário multilateral, deve partir a convocação para uma resposta vigorosa às ameaças que pesam sobre nós…está em curso a construção de uma nova geografia política, econômica e comercial no mundo…”

A reforma do Conselho de Segurança

O Conselho de Segurança, uma espécie de exército mundial, é composto por 15 membros, sendo 5 membros permanentes com poder de veto: os Estados Unidos, a França, o Reino Unido, a Rússia  (ex-União Soviética) e a República Popular da China. Os demais 10 membros são eleitos pela Assembléia Geral  para mandatos de 2 anos.

Uma resolução do Conselho de Segurança é aprovada se tiver maioria de 9 dos quinze membros, inclusive os cinco membros permanentes. Aqui podemos perceber a importância do número do cristo cósmico Baha’u’llah. Não se sabe ainda de onde virão os 10 chifres da besta, mas o Conselho de Segurança tem se esforçado para ser agraciado por Baha’u’llah.

Quando uma legislação mundial for aprovada pela Câmara Alta compete ao Conselho de Segurança, através do exercito mundial, garantir que as leis sejam obedecidas.Esse sistema cruel e totalitário de matar pessoas durante a  Nova Ordem Mundial foi defendido pelo Guardião da fé  (Shoghi Effendi) em seu livro “A Ordem Mundial de Baha’u’llah” na passagem descrita abaixo::“…O princípio fundamental que forma a base deste Pacto solene deve ser tão estável que, se qualquer governo violar posteriormente alguma de suas provisões, todos os governos da terra devem se levantar para reduzi-lo à absoluta submissão, mais ainda, a raça humana como um todo deve decidir, com todo o poder à sua disposição, destruir esse governo…”Esse sistema de governo também possui características do quarto animal que o profeta Daniel descreveu:Disse assim: O quarto animal será o quarto reino na terra, o qual será diferente de todos os reinos; e devorará toda a terra, e a pisará aos pés, e a fará em pedaços. (Daniel 7 : 23)

O ECOSOC

A principal função dessa instituição é promover uma infinidade de empréstimos para que a economia mundial seja totalmente controlada por pulsos eletrônicos. O destaque vai para o dinheiro supostamente investido na economia verde e na unidade da diversidade que visa dar poderes jamais vistos ao movimento gay. E por fim, o ECOSOC, instituição que recebe uma forte acessória da comunidade Bahá’i liderada por Bani Dugal, deve trabalhar para estabelecer uma economia mundial portadora do sinal, nome e número de letras do nome de Baha’u’llah através do FMI/Banco Mundial , onde os países também estão na disputa pelo cargo de nove mestres eleitos do anticristo.

A câmara alta

Ela será composta por instituições que possuem grande poder de manipulação e controle da população como o Vaticano, O Clube Bilderberg e os mega grupos empresarias. A sua suposta função é criar emendas ou aprovar as leis que foram debatidas na câmara baixa.

A câmara baixa

Ela será formada por líderes espirituais (falsos evangélicos e esotéricos). A sua função é debater e apresentar um rascunho das leis  para ser aprovado pela câmara alta.

O Tribunal Mundial

Compete a esses juízes (é muito provável que estejam também em número de Bahá, o nove) burlarem na legislação de cada país para que todos aqueles que não aceitarem a ordem econômica de Baha’’u’llah sejam degolados, na Grande Tribulação especialmente cristãos. Claro que isso em nome do bem comum e da unidade da diversidade. Abaixo Baha”u’llah descreve esse momento:

“Dize: Os céus dobraram-se e a terra está segura em Suas mãos; os malfeitores foram segurados pelo topete e ainda não compreendem. Bebem da água impura e não o sabem..” (Seleção dos escritos de Baha’u’llah) 

 Baha’u’llah também diz em seu kitáb-i-aqdas para marcar a fronte de cada pessoa que tentar roubar (nem que seja comida)  por não querer usar o seu sinal unificador no meio da testa ou na mão. Ora, compete ao Tribunal Mundial executar essas leis (onde se lê DEUS substitua por Baha’u’llah):

 “45. Exílio e aprisionamento são decretados para o ladrão e, no terceiro delito, colocai-lhe uma marca na fronte, para que assim identificado não seja aceito nas cidades de Deus e em Seus países. Acautelai-vos para que a compaixão vos não faça negligentes no cumprimento das leis da religião de Deus. Executai o que vos ordenou o Compassivo, o Misericordioso…”

Observe que Baha’u’llah pede para não ter compaixão, ou seja, essas pessoas estão roubando apenas para comer e mesmo assim devem ser punidas em nome da unidade da diversidade.

O governo oculto

Como dificilmente essas duas câmaras vão entrar em acordo, compete ao executivo mundial dar o parecer final e aplicar as leis juntamente com os nove mestres eleitos.

“…Tal estado terá que incluir dentro de seu campo de ação um Executivo Internacional capaz de exercer autoridade suprema e inquestionável sobre qualquer membro recalcitrante da comunidade mundial…” (Shoghi Effendi – Guardião da fé Bahá’i).

Já do lado espiritual, compete a Casa Universal de Justiça e Guardiania ( A besta de dois chifres) resolver conflitos entre as duas câmaras.

E assim, o mundo caminhará para uma falsa paz que jamais irá existir:

“…A Maior Paz, por outro lado, assim como Bahá’u’lláh a concebeu – uma paz que, inevitavelmente, há de suceder como conseqüência prática da espiritualização do mundo e da fusão de todas as suas raças, crenças, classes e nações – sobre outra base não pode se apoiar, nem por outro meio ser preservada, senão pelos preceitos divinamente designados, implícitos na Ordem Mundial que se associa com Seu Santo Nome..” (Shoghi Effendi).

Referências:

A paz universal (abdu’l na América)

Chamado às nações (Shoghi Effendi)

Jornal Estado de São Paulo

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: