As Crises de Jeremias

Maldito o dia em que nasci; não seja bendito o dia em que minha mãe me deu à luz.

Maldito o homem que deu as novas a meu pai, dizendo: Nasceu-te um filho; alegrando-o com isso grandemente.

E seja esse homem como as cidades que o SENHOR destruiu e não se arrependeu; e ouça clamor pela manhã, e ao tempo do meio-dia um alarido.

Por que não me matou na madre? Assim minha mãe teria sido a minha sepultura, e teria ficado grávida perpetuamente!

Por que saí da madre, para ver trabalho e tristeza, e para que os meus dias se consumam na vergonha? Jeremias 20 (14-18)

O serviço do Senhor é bastante duro; não é um papel indicado para qualquer pessoa. Pelo relato bíblico, parece que as pessoas que são mais usadas por Deus como instrumentos na obra dele passam por grandes aflições. Não é de admirar então que Paulo exortasse Timóteo para que se fortalecesse a fim de passar por tribulações: “Portanto, não se envergonhe de testemunhar do Senhor, nem de mim, que sou prisioneiro dele, mas suporte comigo os meus sofrimentos pelo evangelho, segundo o poder de Deus … Suporte comigo os meus sofrimentos, como bom soldado de Cristo … suporte os sofrimentos …” (2 Timóteo 1:8; 2:3; 4:5). A palavra de Deus desmente as doutrinas de ”parar de sofrer” que são promulgadas por determinadas igrejas de nossa época. A realidade das duras provações na vida cristã assusta vários discípulos que ficam abalados ao ponto de deixar de trabalhar para o Senhor. Será que nós também engolimos o mito de que a vida cristã deve ser livre de angústia?

A vida de Jeremias nos dá bastante auxílio para encarar bem os sofrimentos do servo do Senhor. Note as seguintes etapas da carreira dele:

O chamamento

Quando Deus chamou Jeremias para ser profeta (1:5), ele não queria aceitar: “Ah, Soberano Senhor! Eu não sei falar, pois ainda sou muito jovem” (1:6). O Senhor respondeu que ele lhe daria as palavras e que ele determinaria a programação (1:7). Também ele se comprometeu a estar com Jeremias: “Não tenha medo deles, pois eu estou com você para protegê-lo” (1:8). O Senhor também concedeu a Jeremias os recursos dos quais ele precisaria para resistir aos ataques dos inimigos: “E hoje eu faço de você uma cidade fortificada, uma coluna de ferro e um muro de bronze, contra toda a terra: contra os reis de Judá, seus oficiais, seus sacerdotes e o povo da terra. Eles lutarão contra você, mas não o vencerão, pois eu estou com você e o protegerei” (1:18-19). Deus já deixou Jeremias prevenido dos esforços dos oponentes, mas lhe deu plena certeza da presença dele para capacitá-lo a encarar todas as dificuldades.

A mensagem

Jeremias pregou ousadamente a mensagem que o Senhor lhe deu: “O meu povo cometeu dois crimes: eles me abandonaram, a mim, a fonte de água viva; e cavaram as suas próprias cisternas, cisternas rachadas que não retêm água” (2:13). Ele expôs a infidelidade e a insensatez do povo de Judá por ter abandonado a única fonte do bem e por ter corrido atrás dos ídolos vazios.

A primeira crise

A pregação corajosa da palavra do Senhor por Jeremias irritou muita gente que não queria que seus pecados fossem expostos e condenados. A pregação da palavra de Deus raramente conduz à popularidade. O tom de autoridade é desgostoso para o homem rebelde. As pessoas que ficam ressentidas com a mensagem perturbadora geralmente recorrem a medidas ou para calar o mensageiro ou para acabar com ele. Não era diferente com Jeremias. O Senhor revelou para Jeremias que os homens estavam tramando para matá-lo. Estes homens incluíram o pessoal da própria cidade dele, Anatote (veja 11:18-23).

Jeremias não entendeu a razão pela qual o Senhor deixou o caminho dos ímpios prosperar. Ele queria saber até quando a terra iria sofrer por causa da perversidade deles que Deus estava aparentemente tolerando. Era especialmente difícil para os santos no velho testamento porque não tinham nítida visão da vida eterna. Foi Cristo que “trouxe à luz a vida e a imortalidade por meio do evangelho” (2 Timóteo 1:10). Antes de Cristo, os fiéis esperavam bênção ou castigo nesta vida. Então quando o Senhor deixava os ímpios permanecerem impunes era bastante difícil para irmãos como Jeremias entender.

A resposta do Senhor à angústia de Jeremias era bem chocante. Ao invés de simpatizar e confortar, o Senhor repreendeu e desafiou. Respondeu de três formas: Œ”Se você correu com homens e eles o cansaram, como poderá competir com cavalos? Se você tropeça em terreno seguro, o que fará nos matagais junto ao Jordão?” (12:5). Deus estava repreendendo Jeremias por ter ficado tão preocupado com pouca provocação. Se ele nem conseguisse caminhar um quilômetro, vamos dizer, como é que ele iria agüentar a maratona? Nós devemos ter cautela para não sentir muita pena de nós mesmos, porque é bem provável que a situação piore e aí faremos o quê? Deus revelou que a situação já era pior do que ele imaginava: “Até mesmo os seus irmãos e a sua própria família traíram você e o perseguem aos gritos. Não confie neles, mesmo quando lhe dizem coisas boas” (12:6). Não eram apenas os compatriotas da cidade nativa que estavam tramando contra ele, eram os próprios familiares! Ele já passou por trechos angustiantes, mas a realidade ficou mais horrível ainda. Será que para nós também os atuais sofrimentos têm a finalidade de nos fortalecer a fim de suportarmos as verdadeiras angústias vindouras? Ž Deus mostrou que os sofrimentos de Jeremias eram bem mais leves do que os dele mesmo: “Abandonei a minha família, deixei a minha propriedade e entreguei aquela a quem amo nas mãos dos seus inimigos. O povo de minha propriedade tornou-se para mim como um leão na floresta …” (12:7-8). O que o Senhor estava passando era bem pior do que os sofrimentos de Jeremias, pois ele tinha que abandonar o que ele criou e tanto amou. Dificilmente refletimos no lado das decepções que o Senhor experimenta.

A segunda crise

Jeremias chegou ao ponto de sentir-se muito solitário por causa da rejeição quase universal que passou. “Todos me amaldiçoam”, Jeremias reclamou, e afirmou que não tinha feito nada para merecer tal horror (15:10-11). “Jamais me sentei na companhia dos que se divertem, nunca festejei com eles. Sentei-me sozinho, porque a tua mão estava sobre mim e me encheste de indignação” (15:17). Foi bem duro para Jeremias ser excluído de tudo por causa da tarefa severa que ele possuía de anunciar a palavra do castigo. Ninguém queria se associar com ele. Por isso, Jeremias voltou-se contra o Senhor: “Por que é permanente a minha dor, e a minha ferida é grave e incurável? Por que te tornaste para mim como um riacho seco, cujos mananciais falham?” (15:18). Antes, Jeremias havia pregado que Deus era “fonte de água viva” (2:13), mas agora o chamou de riacho seco. Até mesmo grandes homens de Deus caem.

A resposta do Senhor à reclamação de Jeremias me surpreende. De novo, ao invés de simpatizar com Jeremias, o Todo-poderoso o desafiou: “Se você se arrepender, eu o restaurarei para que possa me servir; se você disser palavras de valor, e não indignas, será o meu porta-voz. Deixe este povo voltar-se para você, mas não se volte para eles” (15:19). O profeta havia fracassado e a solução era que ele se arrependesse da sua auto-compaixão rebelde e voltasse ao Senhor. Só assim ele seria o porta-voz do Senhor. Desde que ele já era o porta-voz do Senhor, esta promessa que ao se arrepender ele se tornaria o porta-voz significa que estas queixas contra o Senhor já havia tirado dele esta função. Deus estava lhe dando uma segunda chance, mas ele não deu ouvidos às reclamações. Ele não achou a situação insuportável para Jeremias, não. E depois ele repetiu as palavras do chamamento (15:20-21; veja 1:18-19), assim mostrando que as instruções de que Jeremias necessitava para vencer o desafio estavam já em suas mãos.

Auto-compaixão não faz com que o Senhor dê o braço a torcer. Jeremias estava tão triste por causa do seu isolamento, porém no próximo capítulo (16) Deus ordenou que ele não se casasse e que não fosse nem para velórios nem para festas. Estes mandamentos certamente teriam aumentado este sentimento de solidão que Jeremias passava, mas Deus decretou-os mesmo assim.

Aplicação

Temos que suportar sofrimentos. O cristianismo não é para pessoas moles. Somente pessoas com coragem e determinação resoluta terão a força necessária para prosseguir neste caminho. Cristo cria bons soldados não mimando-os, mas deixando-os passar por grandes dificuldades. A preparação militar, ou até mesmo o treino esportivo, é duro. Nenhum general orienta suas tropas dando-lhes o máximo de conforto e descanso. Nenhum técnico fortalece seus atletas sem dor e suor. Do mesmo jeito podemos nos preparar para passar por momentos duros na vida cristã, porque o Senhor quer que fiquemos fortes e firmes. Talvez nós já imaginamos que a vida é bem difícil, mas estas dificuldades podem ser designadas meramente como entrada às verdadeiras provações do futuro. Se já nos rendermos, como é que superaremos os desafios maiores?

O projeto do Senhor não é que paremos de sofrer nesta terra, mas que as angústias fortaleçam nossa fé ao ponto que fica “muito mais valiosa do que o ouro que perece, mesmo que refinado pelo fogo” e que resulta “em louvor, glória e honra, quando Jesus Cristo for revelado” (1 Pedro 1:7). Não importa a dureza dos momentos aqui, são leves e momentâneos em comparação com a “glória eterna que pesa mais do que todos eles” (2 Coríntios 4:17). Que aprendamos com Jeremias a suportar sofrimentos sem queixa e sem auto-compaixão!

http://www.estudosdabiblia.net/d110.htm

A necessidade de paciência no final dos tempos

Os boatos sobre o fim do mundo começaram a surgir em 2010 e perderam a força em Dezembro de 2012 quando nada aconteceu. Esse ano levamos um banho de água gelada no coração ao ver a indicação do Papa Francisco, sendo que o Ângelo Scolla tinha mais características esotéricas para ser o falso profeta, isso segundo a nova ordem mundial planejada por Baha’u’llah.

O tempo profético aparentemente parou e não temos nenhuma notícia importante. Com isso, perdemos um pouco da meta final sobre o arrebatamento, pois não sabemos se falta muito ou pouco tempo. Não só a meta, mas perdi 95% das amizades cristãs, mesmo que jamais mencionei uma data para o fim.  Muitos perderam  a paciência e voltaram para as suas rotinas.

Esse intervalo silencioso precisa ser preenchido com a paciência. Um dom espiritual que possui extrema importância no final dos tempos. É esse dom que nos faz suportar as profetadas de cada dia, a apostasia da igreja, a imoralidade, a ganância, a crueldade, a imparcialidade e a indiferença de muitos cristãos.

A paciência também aparece de forma importante na santificação, pois ainda existem muitos pecados a serem vencidos na vida de cada um. Bebidas, cigarro, drogas e pornografia são apenas alguns exemplos. Nunca abandone a meta final e sempre veja o seu futuro como uma pessoa liberta agora no presente através da fé.

A paciência em acompanhar a forma gradativa, lenta, chata (diria quase insuportável)  e torturante da nova ordem mundial nos gera a experiência. Ainda estamos nessa fase, mas com fé em DEUS e em nome de JESUS em breve estaremos com uma esperança renovada em nossos corações:

E a paciência a experiência, e a experiência a esperança. (Romanos 5:4)

Deus nos capacitou para  alimentarmos do que é sólido, ou seja, as profecias descritas no livro de Apocalipse, pois elas nos ensinam a discernir entre o bem e o mal. Por isso, prezado leitor busque a paciência com fé e guarde-a no coração, pois através dela colheremos o fruto da experiência e da esperança, principalmente a descrita no versículo abaixo:

Como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra.  (Apocalipse 3:10)

Observe a importância da paciência no final dos tempos, pois é através dela que Jesus nos protegerá dos poderes místicos  e unificadores da manifestação do cristo cósmico Baha’u’llah quando o mesmo sair do abismo.

Tente não ficar triste pela atual letargia dos acontecimentos e sinta a paciência fluir dentro do seu coração, pois é através dela que seremos conduzidos até a eternidade.

O que vais fazer Saul?

E, havendo aberto o sétimo selo, fez-se silêncio no céu quase por meia hora. ( Apocalipse 8:1)
Tempos difíceis são estes os nossos. Dias em que o próprio céu se calará frente ao barulho presente na terra, grande barulho dos falsos profetas, falsas doutrinas, falso evangelho. Esses por sua vez provocam tanto barulho que não se consegue escutar mais a sã palavra de DEUS, que se mantém presa entre os escombros do cristianismo. (Clique aqui para ler mais)

Cartas às sete igrejas

Hoje, os erros de interpretações sobre o Apocalipse são tão absurdos que precisamos da ajuda de DEUS para entender o que está acontecendo. Especulações e teorias das mais estúpidas que nem deveriam ser escritas circulam pela internet, mas elea servem como prêmio para o Google, que indexa todas as profetadas com “ carinho”.

São nas cartas às sete igrejas descritas em Apocalipse que temos a resposta para esse mistério. Jesus aparece agora de forma triunfal e glorificado para o Apóstolo João. Aquele rapaz de 30 e poucos anos que estava na mente de João se transforma no Senhor todo poderoso de cabelos brancos, olhos de fogo e uma espada de dois gumes que sai de sua boca para mostrar a verdade sobre a apostasia dos últimos dias.

O espírito de Cristo surge da parte dos sete espíritos de DEUS, caminha entre os castiçais e em sua mão direita estão sete estrelas. Mais adiante em Apocalipse 1 esse mistério é revelado.  Os castiçais são as igrejas e as estrelas os líderes dessas igrejas. As  profecias continuam e Jesus, através do seu servo João, relata uma série de admoestações iniciais para que somente então nos cristãos possamos entender os mistérios do livro de Apocalipse. São tantas falhas que temos em nossos corações que nem percebemos, mas que DEUS possa revelar a cada um suas faltas e pecados  para nos santificar e preparar para a vida eterna.

1) Efeso

Na igreja de Éfeso falta o primeiro amor. Devido ao senso crítico sobre os Apóstolos modernos e mentirosos como o Apóstolo Valdemiro Santiago e outros. Para a ordem mundial de Baha’u’llah, esses falsos apóstolos já são os  líderes morais que influenciam as massas.

Essa igreja, agora representada pelos castiçais,  perde o primeiro amor. Não é fácil ver esses corruptos e injustos líderes sempre se dando bem na vida enquanto  muitos não tem o que comer direito.Aquela emoção de ler as escrituras com fé, sentir o amor de DEUS no coração e andar em novidade de vida já não existe mais. Não somos capazes de amar e  nem respeitar as outras pessoas. Fazemos tudo mecanicamente movidos por interesses pessoais.   Já não se ama  a DEUS, o próximo e nem a si mesmo. Oh DEUS!  Arrependemos da cinza e do pó. Perdoa essa nossa falha e cria em nós um coração reto diante dos seus olhos.

2) Esmirna
A igreja de Esmirna é marcada pela pobreza. Vivemos em um mudo que domina os bens materiais, inclusive dentro da igreja. Para isso, surgiu a teologia da prosperidade com seus enganos vendendo os mais sortidos amuletos “abençoados”, desafios contra DEUS, sacrifícios e outros rituais, porém, são caminhos que nos levam ao engano. Infelizmente nem todos nós seremos ricos , possuiremos uma boa família ou um bom namorado (a) ou casamento com filhos . Mas como ler as escrituras diante de uma vida pobre? Jesus responde que ama a sua igreja, mesmo tendo o pior emprego, cabelo ou cor para os padrões  considerados “perfeitos”  para esse mundo. Apenas como exemplo Igrejas como a IURD costumam desprezar os pobres que não conquistam riquezas. Já a Ordem Mundial de Baha’u’llah vai tentar fazer com que os mais pobres participem da economia divina,a marca da besta tendo finalidade de ajuda social.

Oh Deus! Faça com que possamos sentir esse amor e que a vergonha de ser pobre e desprezado até mesmo dentro da igreja não seja uma barreira para entender o Apocalipse nos liberte desses falsos líderes.

3) Pérgamo
A igreja de Pérgamo está presa em duas apostasias. A primeira é a doutrina de Balaão infiltrada na igreja. Segundo o Apóstolo Pedro( II Pedro 2:3), essa doutrina nos dias atuais é representada pela transformação da palavra de DEUS em mercadorias, os famosos kits gospel. Era costume de Balaão receber para abençoar alguém e esse costume permanece até os dias de hoje. Os produtos evangélico$  mais conhecidos são: TV por assinatura, cartão de crédito, DVD´s evangélicos, refrigerantes evangélicos, roupa evangélicas em geral, Bíblia da mulher, Bíblia do homem, Bíblia do gay, Bíblia socialista, livros com os temas mais estúpidos possíveis e muitos outros. Alguns que seguem a doutrina de Balaão: RR Soares, Silas Malafaia e outros….

Outro problema da igreja de Pérgamo é a doutrina dos Nicolaitas. Pessoas que seguem essa doutrina costumam se achar melhor do que os outros devido as suas conquistas e se consideram os únicos salvos. Nas igrejas católicas também costumam ter esse pensamento, ou seja, dizer que a igreja católica é a única verdadeira fundada por Cristo.

Dentro da doutrina dos Nicolaitas ainda temos o famoso “ não toque no ungido do senhor”. Toda vez que denunciamos as práticas comerciais desses mega líderes muitas pessoas se irritam com isso  e mal sabem que esse é o motivo de não entenderem o apocalipse. Dentre as seitas que se enquadram nessa doutrina temos os católicos e adventistas, ambos dizem ser a mulher de Apocalipse 12, ou seja, a única verdadeira igreja de Cristo.

Na ordem mundial do cristo cósmico Baha’u’llah a doutrina de Balaão será muito usado durante o curto período de prosperidade que o executivo mundial (o Anticristo) trará.

4) Tiatira

O problema da igreja de Tiatira está no espírito de Jezabel. Nos dias modernos, essa entidade demoníaca está representada pela agenda feminista dentro da igreja, especialmente a evangélica. Esse movimento tem como ensinar a mulher a humilhar o homem ao extremo. Infelizmente durante a minha vida conheci algumas ”irmãs “ que sentiam prazer em maltratar homens.

Dentro do espírito de Jezabel também temos a sensualidade. Com a fusão de músicas mundanas dentro da igreja muito em breve o “pancadão de JESUS” estará sendo cantado nos cultos. Essa movimento que representa o ápice da decadência moral de uma sociedade tem como meta emburrecer as pessoas através da sensualidade. O espírito de Jezabel também induz o cristão aos vícios e por isso deve ser fortemente combatido. Isso tudo acabará fazendo com que as pessoas nunca entendam o Apocalipse. .

O Espírito de Jezabel também se converte a idolatria a Rainha dos Céus, um dos demônios mais antigos que inferniza os cristãos, nesse caso ele está associado ao culto da “nossa” senhora católica e seus diversos nomes.

O espírito de Jezabel está mais presente no catolicismo romano através das variações da “nossa” senhora. Vale lembrar que foi esse demônio que deu poder a Baha’u’llah quando ele estava preso na cova negra.

5) Sardes

Essa igreja tem nome de quem vive, mas é morta. Podemos citar como exemplo pessoas que cometem pecados carnais, pedofilia ou tratam as pessoas com falsidade e quando olhamos para elas parecem verdadeiras santinhas. Que DEUS leve essas pessoas ao arrependimento, peçam perdão e comecem uma vida realmente santificada. Caso contrário, essas também não vão conseguir entender o livro de Apocalipse.

A ordem mundial de Baha’u’llah ajuda a promover a igreja de sardes através do principio que fala sobre o fim de toda forma de preconceito. Nesse princípio teremos a liberação de várias coisas ilícitas que vão desde o homossexualismo ao uso de drogas.

6) Filadélfia

A igreja de Filadélfia tem em um ponto tão pouca força que JESUS precisou abrir uma porta que ninguém fecha para ela. Essa porta pode ser entendida como uma renovação da esperança. Aqui é impossível não ver o cristão solitário, triste, abatido e que vive errante pelo mundo sem ter onde repousar. Quanto mais conhecemos sobre o Apocalipse, mais as pessoas se afastam de nós e em muitas vezes não temos ninguém para conversar. Não é fácil ir em uma igreja e ver vários desses erros cometidos sem poder falar com ninguém. Mas por outro lado essa é a única igreja que JESUS promete proteger da grande tentação que virá sobre todos os habitantes da Terra. Dentro do livro de Apocalipse a maior tentação que virá será a manifestação do cristo cósmico que é conhecido como a besta do abismo.
Que DEUS dê entendimento para cada pessoa e que o maior número de pessoas possam ter o seu coração nessa igreja, pois essa é a única que JESUS promete proteger da grande tentação que virá sobre toda a Terra, ou seja, a manifestação espiritual do cristo cósmico Baha’u’llah.

7) Laodicéia

O fato dessa igreja ser morna causa nojo e ânsia de vômito no Senhor JESUS e ele dá várias dicas sobre o funcionamento dessa igreja. Uma delas é ficar falando amém o tempo todo para promover a teologia da prosperidade. Vamos a uma frase imortalizada na voz do bispo abortista da IURD por exemplo: “  Você tem que chegar e se impor…se quiser  se não quiser dar que se dane! Tem que ser assim no peito e na raça! Ou dá ou desce!Você quer o cajado de Moises? Amém pessoal! Então dá 10 mil aqui (hehe)! Peça ! Peçaaaaa! Não tenha vergonha”.

Mas o que faz Jesus ter vontade de vomitar é quando essa igreja diz que é rica, abastarda e que não precisa de coisa alguma. Abaixo temos uma encenação típica da teologia da prosperidade:

Testemunho: Para honra e gloria do Senhor Jesus comprei uma mansão, 10 carros importados, 20 iates, 5 aviões, tenho filhos perfeitos que estudam na faculdade mais cara do mundo, esposa perfeita, abri mais 5 empresas e contratei 200 escravos (ops empregados) e me alimento  do bom e do melhor sem me importar com o preço.

Pastor: OOOO! Gloria a DEUS! Amém pessoal

Igreja:  (Aplausos) Amém!

Pastor: E o que você está esperando para pegar seu tijolo abençoado. Amém! Não esqueça de trazer a oferta do cajado de Moises na próxima semana e coloque seu tudo. Amém! Quem não quiser o cajado pode pegar o envelope do desafio na árvore de dinheiro do lado esquerdo do altar. Amém!

Igreja: Amém!Amém! Amém!

É por isso que essa igreja é a mais desgraçada  e miserável de todas:

Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu;

Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas. Apocalipse 3 (17-18)

Obs. Essa igreja também segue os princípios da economia divina de Baha’u’llah, mas dessa vez na casta dos ricos.

As sete cabeças da besta

Quando fazemos uma busca na Bíblia sobre as sete cabeças da besta nos deparamos com cinco versículos muito importantes que nos ajudam a eliminar erros de interpretações. São eles:

Apocalipse 12:3  “ E viu-se outro sinal no céu; e eis que era um grande dragão vermelho, que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre as suas cabeças sete diademas”.

O reinado de satanás também aparece em Apocalipse 12. Esse capítulo narra entre outras coisas a futura perseguição aos seguidores de Cristo ( Ap 12:7). Quando ocorrer essa perseguição teremos uma oscilação de poder entre os 10 chifres e as sete cabeças através dos diademas. Em Apocalipse 13:1 os diademas estão sobre os dez chifres, mas em Ap 12 eles estão sobre as sete cabeças:

Apocalipse 12:3 “ E viu-se outro sinal no céu; e eis que era um grande dragão vermelho, que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre as suas cabeças sete diademas”

Observe que satanás entrega o poder para as sete cabeças que levam ao oitavo rei, ou seja, a perseguição será feita pela besta do abismo (não confundir com o Anticristo) . O principal motivo que levará satanás a colocar os diademas sobre as sete cabeças é que se trata de um poder espiritual. Assim, ele pode oscilar conforme a necessidade entre um poder espiritual e um poder material (os 10 chifres que incluem o Anticristo).

Apocalipse 13:1  “E EU pus-me sobre a areia do mar, e vi subir do mar uma besta que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre os seus chifres dez diademas, e sobre as suas cabeças um nome de blasfêmia”.

O versículo acima daria um livro se fossemos meditar em toda a sua extensão, mas vamos nos concentrar aqui sobre o nome de blasfêmia que está sobre as sete cabeças. Ora, se as sete cabeças levam ao oitavo rei, o nome de blasfêmia é o nome da besta do abismo.

Apocalipse 17:3
E levou-me em espírito a um deserto, e vi uma mulher assentada sobre uma besta de cor de escarlata, que estava cheia de nomes de blasfêmia, e tinha sete cabeças e dez chifres.

Agora o nome de blasfêmia é transferido para a mulher assentada sobre a besta, que é a Babilônia. Isso mostra que besta do abismo não é a babilônia; e a ideologia desse ser espiritual, bem como seus ensinamentos e princípios, são colocados em prática pela Babilônia.

Apocalipse 17:7E o anjo me disse: Por que te admiras? Eu te direi o mistério da mulher, e da besta que a traz, a qual tem sete cabeças e dez chifres”.

A mulher,  a grande cidade que influência o mundo com a sua moeda forte , artes e tudo mais, estará  submissa  ao poder  espiritual das sete cabeças que levam ao oitavo rei (a besta do abismo). Ela também estará submissa aos 10 chifres que representam o poder material do Anticristo.

Apocalipse 17:9
 Aqui o sentido, que tem sabedoria. As sete cabeças são sete montes, sobre os quais a mulher está assentada.

Podemos interpretar a palavra “montes” como socorros espirituais usados pela humanidade, ou seja, assim temos sete líderes espirituais que já estão mortos, porém fundaram religiões nas quais arrastaram muitos seguidores de falsos cristos.

É impossível não terminar esse estudo sem falar do que temos na atualidade sobre as profecias. O google está manipulando tudo e fazendo com que muitos cristãos aceitem a teoria dos papas criada pelo adventismo como verdade. Ora, como o mecanismo de busca criado para servir ao Anticristo poderia trilhar esse caminho? É fazendo uma indução à apostasia profética.  Se o leitor digitar nesse mecanismo (Google) “sete cabeças”, por exemplo, todos os sites que o mecanismo de busca vai indicar já são adventistas.

E assim, a revelação progressiva Bahá’i se tornará cada vez mais oculta de muitos, mas que DEUS possa de alguma forma levar essa verdade para aqueles que têm sede.

http://estudosdafe.wordpress.com/category/04-a-revelacao-progressiva/

“9” – Nº da BESTA e Marca da MORTE, Filme 9 e de QUEBRA: MALAFAIA!!!

NÃO TOQUE NO UNGIDO DO SENHOR

Pastor Paulo Romeiro

Basta alguém questionar a posição doutrinária ou ética de algum líder religioso para que ele ou seus simpatizantes imediatamente lancem mão desta frase para se defenderem. Alguém já disse, com sabedoria, que o poder odeia a crítica, e isto é uma verdade também no meio evangélico. Ao afirmar isso, não estamos aqui defendendo a crítica barata, vingativa, mas, sim a construtiva, feita de acordo com a Palavra de Deus.

Essa expressão “não toqueis nos meus ungidos” aparece duas vezes na Bíblia: em 1 Crônicas 16.22 e em Salmos 105.15; ambas as referências são a respeito dos patriarcas, Abraão, Isaque e Jacó. As duas passagens não se referem a um questionamento ético ou doutrinário do líder, mas a algum perigo para a integridade física de um ungido de Deus. Observe o que aconteceu com Abraão em Gênesis 20.1-13. Estando em Gerar, mentiu ao rei Abimeleque, dizendo que Sara não era sua esposa, a fim de se proteger. Impressionado com a beleza de Sara, Abimeleque mandou buscá-la para fazê-la sua esposa. Deus, porém, avisou o rei em sonho durante a noite, dizendo-lhe que seria punido se tomasse Sara como esposa, o que o levou a desistir do seu plano. Embora Abimeleque tivesse sido proibido por Deus de tocar no profeta (Gn 20,7) e ungido do Senhor, isto é, de causar-lhe algum dano físico, Abimeleque não hesitou em repreender Abraão por ter-lhe mentido.

Davi também, quando perseguido por Saul e com oportunidade para matá-lo, limitou-se apenas em cortar-lhe a orla do manto, explicando com estas palavras o motivo de seu comportamento: “O Senhor me guarde de que eu faça tal cousa ao meu senhor, isto é, que eu estenda a mão contra ele, pois é o ungido do Senhor” (1 Sm 24.6). Vemos novamente que o que estava em questão era a vida de Saul e não sua posição doutrinária.

No Novo Testamento, a unção não é privilégio apenas de alguns, mas de todos os que estão em Cristo. Na sua primeira epístola universal, João mesmo reconheceu isso ao escrever: “E vós possuís unção que vem do Santo, e de todos tendes conhecimento” (1 Jo 2.20). João acrescentou ainda: “E a unção que vós recebestes dele, fica em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos ensina todas as coisas, e é verdadeira, e não é mentira, como ela vos ensinou, assim nele permanecereis” (I João 2:27).

É verdade que Jesus disse no Sermão do Monte: “Não julgueis, para que não sejais julgados” (Mt 7.1). Este é outro texto muito usado de forma seletiva e fora de seu contexto como escudo contra qualquer tipo de questionamento. O que Jesus está censurando nesta passagem é o julgamento hipócrita, algo que ele deixa bem claro nos versículos 3 a 5: “E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho? Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu? Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão”. Pode-se constatar que o apóstolo Paulo tinha o cuidado de obedecer as palavras do Senhor Jesus pela sua exortação aos coríntios: “Antes subjugo o meu corpo, e o reduzo à servidão, para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado” (1 Co 9.27).

A Bíblia não proíbe o questionamento, pelo contrário, encoraja-o. Quando chegou a Beréia, Paulo teve seus ensinos avaliados à luz das Escrituras pelos bereanos. É interessante que os bereanos não foram censurados nem tidos como carnais porque examinaram os ensinos de Paulo, mas, sim, foram elogiados e considerados mais nobres que os de Tessalônica (At 17.11). Observe a atitude de João. Apesar de ser amoroso (como “filhinhos”, “amados”) ele não deixou de alertar seus leitores quanto aos perigos de ensinos e profetas falsos com essas palavras: “AMADOS, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo” (1 Jo 4.1).

Parte integrante do Livro:

Evangélicos em Crise – Mundo Cristão

http://www.santovivo.net/gpage284.aspx

Uma conclusão sobre o dom de línguas

8. Conclusão

Não nos deixemos enganar pelo inimigo. Esta febre chamada de “dom de línguas” tem provocado a divisão de muitas igrejas. Este alegado “dom” que deveria ser uma bênção, algo para a edificação do corpo de Cristo, está na verdade enfraquecendo e dividindo as igrejas de nosso Senhor Jesus, e está levando crentes ao vício das “línguas estranhas”, e ficam de tal forma transtornados, que perdem completamente a razão, a ponto de que caso seja provado – biblicamente – o seu erro, como o foi acima, abandonam prontamente a palavra de Deus em favor de uma experiência de “maior espiritualidade”, alegando que a Bíblia Sagrada está limitando o poder de Deus, e que esta experiência, este “dom”, é a verdadeira revelação de Deus aos homens, e qualquer que não a tenha experimentado não pode ser considerado como verdadeiro Cristão. Esquecem-se eles que o coração humano é traiçoeiro e perigoso, e não merece confiança:

“Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?” (Jeremias 17:9)

Citando Iain H. Murray: “Nossa visão de Deus precisa ser controlada não pelo que vemos no mundo, mas pelo que a Bíblia nos autoriza a crer.” E como disse Erroll Hulse: “Toda experiência precisa ser subordinada à disciplina das Escrituras.”

Repetindo: todos os dons são dados por Deus para que sejam úteis ao corpo de Cristo como um todo. E qual tem sido a utilidade deste dito “dom”, além de provocar a divisão e a discórdia?

“Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um, para o que for útil.” (I Coríntios 12:7)

Finalmente, tenhamos muito cuidado nestes tempos de apostasia, pois há muitos que tentarão nos enganar:

“Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos. Eis que eu vo-lo tenho predito.” (Mateus 24:24-25)

E estejamos firmes, perseverando naquilo que de Cristo recebemos:

“… Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos; (32) E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” (João 8:31-32)

“E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo, para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente. Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo, do qual todo o corpo, bem ajustado, e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, faz o aumento do corpo, para sua edificação em amor.” (Efésios 4:11-16)

A.4. É a glossolalia a Língua dos Anjos?

Alguns têm afirmado que a atual glossolalia é a língua dos anjos. A glossolalia é um falar em êxtase, composto de 10 ou 20 vocábulos combinados de 20 ou 30 formas distintas. Na verdade a glossolalia não passa de uma série de sílabas desconexas, colocadas ao acaso, sem a formação de estruturas lingüísticas definidas. E isto a desqualifica primeiramente como uma língua, já que não tem nenhuma das estruturas necessárias para ser assim considerada, e deste modo, isto também a desqualifica como sendo uma das línguas dos anjos.

Devemos estar cientes de que os lingüistas são capazes de observar em uma comunicação falada estruturas como substantivos, expressões adverbiais, pronomes, adjetivos, conjunções, preposições, etc. Assim, se as pessoas que alegam falar a língua dos anjos estivessem de fato falando uma língua poderíamos reconhecê-la como sendo uma língua verdadeira e real, ainda que celestial, o que definitivamente não acontece.

O estudo  completo encontra-se em:

http://solascriptura-tt.org/Seitas/Pentecostalismo/FalarEmLinguasHoje-WCampelo.htm

Observação sobre o vídeo usado: Embora o adventismo cometa uma série de heresias, entre ela o culto ao sábado e a leitura do Apocalipse de forma errada, em casos muitos raros apresentam estudos que estão de acordo com as escrituras.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 210 outros seguidores