“Encontrando Bianca”, vídeo do kit contra homofobia do MEC

A agenda gay também fluiu da pena unificadora de Baha’u’llah. Isso está em um dos seus doze princípios que forma a nova Jerusalém dele ( ou o reino de “deus” na terra), nesse caso o primeiro que é a “ Eliminação de todos os tipos de preconceitos”, parte 3 do plano de sete etapas de mudança do comportamento para a agenda gay.

Baha’ís não apóiam diretamente os homossexuais, mas ao flexibilizarem os artigos dos direitos humanos abriram a porta para que o movimento se tornasse a cada dia mais forte. Hoje, o MEC criou o -Kit gay – para crianças com vídeos tendenciosos para gerar novos gays desde a infância. O vídeo abaixo, parte do kit, conta a história de transformação de José no travesti Bianca.

O vídeo usa como tema o futebol, o entretenimento  mais popular criado pela nova ordem mundial para distrair as massas. A indução ao homossexualismo está no fato do rapaz ou menino não jogar bem esse esporte. Isso já serve de isca para os garotos entrem no time dos gays, ou seja, uma criança de 8 anos ou menos (público alvo do MEC)  pode pensar que é um travesti por não saber jogar bola direito.

No final do vídeo Bianca mostra o seu lado agressivo quando diz :  “…. Bianca… é…B-I-A-N-C-A !“; em outras palavras: “ E ai? Vai encarar? Qual é o problema? “. Essa frase mostra o lado terrível da militância que gay que não mede esforços para impor seu modo de vida libertino para a sociedade. O movimento gay impõe regras que estão foras dos padrões escolares e sociais como a descrita abaixo:

A parte mais bizarra do vídeo acontece quando Bianca não sabe em qual banheiro entrar. Com isso, o MEC deixa a entender que será necessário a criação de um banheiro universal, uma idéia que já andou sendo testada na Inglaterra:

Resumo da notícia:  Banheiros unissex causam polêmica em universidade britânica-  O centro acadêmico de uma das maiores universidades da Grã-Bretanha criou polêmica ao transformar seus banheiros em recintos unissex, atendendo a pedidos de estudantes transexuais (..)

(…)“Se você nasce mulher, mas se define como homem, poderia ter o direito de ir ao banheiro masculino”, disse Jennie Killip, membro da organização, em entrevista à BBC.

“Você não precisa necessariamente fazer uma cirurgia para mudar de sexo. Basta apenas se definir como sendo do outro sexo”, acrescentou.

Algumas alunas entrevistadas pela BBC criticaram a medida, dizendo que não se sentirão à vontade ao freqüentar o mesmo banheiro que homens. (BBC)

Petição pública. Abaixo-assinado Somos contra o maior escândalo deste País, o KIT GAY (clique aqui para assinar)

About these ads
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 211 outros seguidores